quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Centenário de Waldir Calmon (24)


Instalação da placa em homenagem a Waldir Calmon



No dia 18 de setembro de 2019, o Instituto FUNJOR e a Prefeitura do Rio, através do IRPH, fizeram a instalação das cinco placas da segunda fase do projeto Patrimônio Cultural Carioca - Circuito Rádio. Uma delas foi dedicada ao pianista, compositor e proprietário da boate Arpège, Waldir Calmon. A placa foi colocada justamente onde funcionou, de 1955 a 1967, a boate: rua Gustavo Sampaio, 840-A, Leme, RJ. Os outros agraciados foram o radialista Manoel Barcellos, a cantora Dalva de Oliveira, o apresentador Paulo Monte e as irmãs Batista. Quero agradecer também à petshop ZeeNow que hoje ocupa o imóvel e permitiu afixar a placa na fachada da loja. 

Abaixo, algumas fotos da instalação da placa e também um pequeno vídeo de agradecimento, gravado por mim e meu irmão, Marcus:
- foto 1 (acima): Meu irmão e eu
- foto 2: Com a viúva do cantor José Ricardo, dona Hercy Maria Tobias, meu irmão Marcus e o grande Ramalho!
- fotos 3 e 4: colocação da placa
- fotos 5 e 6: a placa já instalada

2.

3.

4. 

5.

6.



quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Centenário de Waldir Calmon (23)


Waldir Calmon, a Panair e a Austrália


Em 1943, o Hotel Copacabana Palace (Copacabana, RJ), inaugurou a primeira boate de um Rio que ainda era capital da República: a Meia-Noite, tornando-se logo um grande sucesso e sinônimo de sofisticação. Frequentada por pessoas da alta sociedade, ricos empresários e políticos, em 1948, passou a ser palco de um programa ao vivo transmitido pela Rádio Nacional, diariamente (exceto às segundas-feiras), de 23:30 à 00:30 h. Patrocinado pela também sofisticada empresa aérea Panair, foi batizado Ritmos da Panair e deu tão certo que o patrocinador decidiu investir um pouco mais em música e lançar, periodicamente, discos para distribuir a seus passageiros brasileiros ou estrangeiros. Um destes vinis foi o LP de Waldir Calmon, Samba Alegria do Brasil (Rádio, 1956), que tem o grande sucesso Na Cadência do Samba (Que Bonito É), reeditado em 10 polegadas, ao invés do formato original em 12 polegadas, e com apenas oito das dez músicas gravadas no LP. Curiosamente, todos os lançamentos musicais da Panar tinham a mesma capa.


Talvez por ajudar a popularizar o trabalho de Waldir ao redor do mundo, este mesmo disco tenha sido relançado na Austrália, no formato original de 12 polegadas e com as dez gravações, mudando apenas o nome: The Beat of Brazil (World Record Club, 1959).

- foto 1: logo da empresa aérea Panair
- foto 2: nota sobre a estreia do programa no jornal A Noite (21-07-1948)
- foto 3: anúncio do programa no jornal A Noite (29-07-1948)
- foto 4: capa do LP Samba Alegria do Brasil (Rádio, 1956) original
- fotos 5 e 6: capa (acima) e contracapa dos discos Ritmos da Panair
- fotos 7 e 8: selos do 10 polegadas de Waldir Calmon, relançado pela Panair
- fotos 9 e 10: capa e contracapa do vinil lançado na Austrália. A tradução do texto da contracapa está abaixo das fotos.
- fotos 11 e 12: selos do The Beat of Brazil

Por causa do sucesso deste disco, outro LP de Waldir Calmon foi relançado na Austrália, mas isto é assunto para outro post. Um abraço!


1.

2.

3.

4.

6.

7.

8.

9.

10.

11.

12.



A foto da contracapa não está muito nítida e não consegui ler alguns trechos do texto, mas a tradução é basicamente:


"Pode parecer óbvio, mas você não consegue conhecer a verdadeira música latino-americana a não ser na América Latina. Muitas bandas em muitos países tocam samba, cha cha, etc, mas são apenas uma pálida imitação do fascinante original. E esta é a razão pela qual este disco foi gravado no berço do samba, Rio de Janeiro, pelo mestre dos líderes de bandas no Brasil, Waldir Calmon.

Calmon, pianista e líder de orquestra na famosa boate carioca Arpège, é a última sensação das Américas. Sua batida incisiva, seus arranjos sedutores e aveludados, as cores exóticas que sua orquestra traz a cada número... tudo conspira para tornar este disco uma incrível experiência sonora.

Waldir Calmon esteve em todas as manchetes no ano passado, pois seus discos vendem milhões. E a seleção deste LP que a World Record Club está trazendo para a Austrália, com o título The Beat of Brazil, já arrecadou mais de um terço de milhão de dólares em suas primeiras seis semanada de vendas no somente no Brasil.

Você achará o toque de Calmon mágico, vibrante, apaixonante, repleto das cores quentes dos trópicos, com um ritmo que não o deixará sentado. Ouvir este disco fará você sentir toda a intensa pulsação da música latino-americana, o balanço insinuante dos quadris e o ritmo contagiante dos sapatos riscando o salão sob a lua... Ouça por si mesmo The Beat of Brazil! É Waldir Calmon, impecável."


Acima, você ouve a gravação de Dinorá (Benedito Lacerda) que está nos LPs Samba, Alegria do Brasil (Rádio, 1956) e The Beat of Brazil (1959)

domingo, 1 de setembro de 2019

Centenário de Waldir Calmon (22)


Comemoração dos 70 anos de Marlene como rainha do rádio e do centenário de Waldir Calmon, Blecaute e Linda Batista


Evento da AMAR - Associação Marlenista - que aconteceu no Othon Palace Hotel, em Copacabana, no dia 24 de agosto de 2019. O cantor Weber Werneck fez um show-baile com convidados e, além de Waldir Calmon, Blecaute e Linda Batista, outros artistas, que muito fizeram (e ainda fazem) pela música, foram homenageados, como: Marion Duarte, Ellen de Lima, Luciene Franco, Almir Saint Clair, Luiz César Mendes, Rosa Maria Collyn e Luiz Henrique. Para ver mais fotos deste evento, por favor, visite www.waldircalmon.com .

- foto acima: Estou recebendo uma homenagem a meu pai das mãos de Fernanda Dornelles e Ciro Gallo.
- foto 2: A cantora Marion Duarte, Luiz Murillo Tobias (Funjor) e eu
- foto 3: Marion Duarte, Tranka Oliveira e eu
- foto 4: Cantei uma música em homenagem a meu pai e outra em homenagem a Marlene.
- foto 5: A cantora Rosa Maria Collyn
- foto 6: O cantor Almir Saint Clair

2.

3.

4.

5.

6.


Fernando Reski, ator e apresentador do programa de TV Gente Carioca, fez a cobertura do evento. Neste vídeo, as entrevistas com Marcia Calmon, Marion Duarte, Luiz Henrique, Ellen de Lima, Luciene Franco, Ciro Gallo, José Ramalho, Blecaute Jr, Weber Werneck, Luiz César Mendes e Altair Britto.

Centenário de Waldir Calmon (21)

Cerimônia de entrega das placas pela FUNJOR



No dia 28 de agosto de 2019, a FUNJOR realizou a cerimônia para a entrega das placas, homenageando seis grandes artistas que muito fizeram pelo rádio: Waldir Calmon, Manoel Barcellos, Dalva de Oliveira, Paulo Monte e as irmãs Batista. A placa de meu pai será colocada onde funcionou, de 1955 a 1967, a boate Arpège: rua Gustavo Sampaio, 840-A, Leme, RJ. Quando a data for definida, avisarei aqui. Abaixo, algumas fotos do evento e, para ver mais, por favor, visite o site www.waldircalmon.com .

- foto 2: O diretor da FUNJOR, Luiz Murillo Tobias, me entregando a placa.
- foto 3: No final do evento, cantei, à capella, um grande sucesso de meu pai, Na Cadência do Samba (Luiz Bandeira), e também Ave-Maria no Morro (Herivelto Martins), imortalizada por Dalva de Oliveira. 
- foto 4: Com a viúva de Paulo Monte, Sônia.
- foto 5: No sentido horário, as placas e seus representantes - eu, a representante do fã-clube de Dalva de Oliveira, Luiz Murillo Tobias (que recebeu a placa em nome das irmãs Batista) e a filha de Manoel Barcellos.

1. 

2.

3.

4.

5.



No vídeo acima, você ouve Pintinhos no Terreiro (Zequinha de Abreu), com Waldir Calmon e seu conjunto. Esta gravação está no LP Feito para Dançar 7 (Rádio, 1958).