domingo, 20 de outubro de 2019

Centenário de Waldir Calmon (26)


O custo de uma noitada no Rio de Janeiro em 1958

 

Matéria na Revista do Rádio n° 462, de 19 de junho de 1958, falando de algumas boates da zona sul do Rio de Janeiro - ainda capital federal - e o custo de uma noitada. A boate Arpège, de Waldir Calmon, está na página 4, em destaque. Para ver as fotos em tamanho original, clique nelas com o botão esquerdo do mouse e, quando abrir, clique novamente com o botão DIREITO do mouse. Na janela suspensa, clique com o botão esquerdo em "abrir imagem em nova guia". Veja a foto na nova guia e, se aparecer uma pequena lupa com o sinal "+" , na ponta do mouse, clique novamente com o botão esquerdo e terá a foto no tamanho original. Assim, você poderá apreciar melhor qualquer imagem postada aqui no Blogger!

- foto 1 (acima): capa da edição 462 da Revista do Rádio
- fotos 2, 3, 4 e 5: matéria sobre boates da zona sul do Rio de Janeiro

2.

3.

4.

5.


No vídeo acima, podemos ouvir o delicioso chorinho Noites Cariocas, do grande Jacó do Bandolim - que, em 2019, também completaria 100 anos!!! Viva Jacó do Bandolim!!!

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Centenário de Waldir Calmon (25)


LP “Midnight in Rio”


Como eu disse em outro post, o sucesso do disco Samba Alegria do Brasil, na Austrália – que recebeu o nome Beat of Brazil – fez com que o selo World Record Club lançasse também o Uma Noite no Arpège 1. O vinil, batizado de Midnight in Rio, tinha o seguinte texto, em inglês, na contracapa: “Waldir Calmon, o jovem e brilhante pianista que fez de sua boate Arpège a Meca para todos os amantes da música dançante latino-americana, já teve um outro disco seu lançado pelo selo World Record – ‘Beat of Brazil’, com ótima vendagem. Agora seu grande talento pode ser apreciado neste novo disco, gravado com o mesmo grupo que toca na Arpège.

Midnight in Rio apresenta a essência da música hipnótica de Calmon, tal qual é executada em sua famosa boate. É esta música exótica e glamorosa da América do Sul que milhares de turistas norte-americanos procuram. É a música que se toca na Arpége e que tem assegurado a venda de milhares de discos de Waldir Calmon.

Dos acordes cintilantes do tema de abertura, In The Still of The Night, passando pela seleção de sambas, mambos e choros, para o final nostálgico, com Auf Wiedersehen, o piano latejante de Calmon, com seus acordes e arpejos, é quase sensual em sua intensidade. O ouvinte talvez tenha até um sentimento de alívio quando encontrar interlúdios ocasionais, acompanhados apenas pela bela seção rítmica.

Um toque incomum, e digno de nota neste tipo de disco, é o uso de vozes na série de sambas que abre o lado dois. Há uma sutileza – muito maior do que pode aparentar para alguns ouvintes. Pesquisadores da música dançante latino-americana acharão este disco particularmente interessante por outra razão: os variados andamentos são absolutamente autênticos e revelam como algumas nuances fazem a verdadeira diferença entre tipos de danças afins, como o samba, o mambo e o choro.”

Nas fotos:
- fotos 1 (acima) e 2: capa e contracapa da edição australiana
- fotos 3 e 4: selos do disco 

2.

3,

4.


No vídeo acima, o Maestro Carioca (que era paulista) e sua orquestra interpretam divinamente Samba no Arpège (Waldir Calmon - Luiz Bandeira) e Apito no Samba (Luiz Bandeira).