domingo, 11 de agosto de 2019

Centenário de Waldir Calmon (20)


Entrega da placa da Funjor



No próximo dia 28 de agosto, quarta-feira, vou receber a placa em homenagem a meu pai, o pianista e compositor Waldir Calmon! Agradeço a todos que votaram e, quem quiser, pode comparecer e prestigiar o evento! Serão cinco artistas contemplados: Manoel Barcellos, Dalva de Oliveira, Waldir Calmon, Paulo Monte e as irmãs Batista.

Comunicado oficial da Funjor: "No próximo dia 28 de agosto, quarta-feira, às 16 horas, no Centro Carioca de Design (Praça Tiradentes, 48 - em frente à estação do VLT), o Instituto FUNJOR, em parceria com a Prefeitura do Rio, através do IRPH - Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, fazem a entrega das 5 placas da 2ª fase do projeto Patrimônio Cultural Carioca - CIRCUITO RÁDIO. Haverá apresentações, homenagens e todos poderão tirar fotos com as placas antes de serem colocadas nos locais das homenagens.. O Instituto FUNJOR agradece aos associados que se somaram nesta ação e os convida para este dia de encerramento desta fase do projeto. Entrada franca."

Centenário de Waldir Calmon (19)

Alguns momentos do show-baile


Quero agradecer muito, mas muito mesmo, a todos aqueles que prestigiaram o nosso evento em homenagem ao centenário de meu pai, o pianista e compositor Waldir Calmon, e nos ajudaram a lotar o Cariocando!!! Só estou fazendo esta postagem agora porque tirei uns dias para descansar logo após o show - eu estava esgotada física e emocionalmente. Vocês não têm ideia de como mexeu comigo ficar debruçada, durante meses, na carreira de meu pai, esmiuçando cada detalhe, pesquisando, colhendo imagens, fatos... e pensando nele a cada segundo. Eu precisava desligar um pouco disto tudo. Mas agora já estou de volta e com esta pequena compilação de vídeos só para dar uma ideia do que foi! Para ver o álbum de fotos, visite o site www.waldircalmon.com/centenario.htm! Um grande abraço e, mais uma vez, obrigada!


terça-feira, 23 de julho de 2019

Centenário de Waldir Calmon (18)

Crítica de Claribalte Passos


No jornal Correio da Manhã, de 30 de setembro de 1956, Claribalte Passos faz a crítica do LP Feito para Dançar 5, em sua coluna Discoteca. Depois do título Um Solista de Categoria Internacional, segue-se o texto: “Constitui objeto de nossa análise musical, técnica e artística, o disco long-play em etiqueta Rádio (selo vermelho), de 12 polegadas, n° 0043GV, instrumental em 33 1/3 rpm, prensagem de Rádio, Serviços, Propaganda Ltda., de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, lançamento de 1956. Trata-se de Feito para Dançar n°5, criações do pianista Waldir Calmon e seu conjunto. Na face A, encontramos uma bela coletânea reunida em pot-pourrit. A saber: Último Desejo, samba de Noel Rosa; Molambo, samba de Jayme Florence e Augusto Mesquita; Recuerdo de Ipacaray, de Demétrio Ortiz e Z de Mirquin; Perfídia, de Alberto Domingues; Love is a Many Splendored Thing, de Fain e Webster; Lisboa Antiga, de Raul Portela. Não há aqui divisão em faixas. Na face B aparecem Guacyra, de Heckel Tavares; Night and Day, de Cole Porter; Risque, de Ary Barroso; Serra da Mantiqueira, de Ary Kerner; Siboney, de Ernesto Lecuona, e finalmente Malagueña, do mesmo autor. Há, no primeiro grupo melódico, uma autêntica mescla de ritmos: samba, samba-canção, bolero e fox. Em Último Desejo, piano e solovox dividem as honras do solo principal, seguindo-se Molambo onde tem especial destaque o solista de piano. Depois, Recuerdo de Ipacaray, sobressaindo-se a guitarra elétrica (suave acompanhamento do solovox, em fundo) e piano. Em Perfídia, Waldir Calmon serve-se, admiravelmente, de expressivos acordes de mão esquerda, bem ao estilo de Roberto Inglês, com notas graves. Love is a Many Splendored Thing, dá melhor oportunidade à execução suave do piano. Finalmente, em variações rítmicas entre o fox e o bolero, termina a face A, com a página Lisboa Antiga. Waldir Calmon faz alarde, em todas as faixas, de extremado virtuosismo e uma notável agilidade digital, principalmente na mão direita. Já nesta altura, temos a definição do talento do artista, na plenitude de sua forma técnica. O desempenho do pianista é, realmente, soberbo, vasado como esteve, na intensidade da expressão e no matiz suave das sonoridades. Premia-o ouvindo ritmo, a par de inimitável burilamento dos desenhos sonoros. Por outro lado, é digno de louvores o bom gôsto do repertório e a singeleza conforme é vestida, através de diferentes arranjos, cada uma destas composições. Na face B, de idêntica maneira, deparamos com a variedade de ritmo e a utilização oportuna do pianista de execuções primorosas sob aspectos estilísticos sempre diferentes quer no plano artístico, quer técnico. Assim, o samba-batucada essencialmente brasileiro aparece na conhecida e tradicional página Guacyra, iniciando-se a execução com o relevo especial do ritmo, seguindo-se as intervenções felizes de guitarra, piano e solovox. Depois, com a melodia Night and Day, temos oportunidade de aplaudir a transplantação do ritmo de fox para bolero, e vice-versa, além da bela marcação feita por Waldir, ao piano, valendo-se do estilo de Maurice Ravel. Também a guitarra aparece eficientemente. Risque, de Ary Barroso, apresenta o belo dueto de celeste e piano. E, após, Serra da Mantiqueira oferece-nos brilhante execução de Waldir ao solovox, reafirmando sua grande classe de solista instrumental. As duas últimas melodias, Siboney e Malagueña, também, justificam nossos sinceros encômios. Feito para Dançar n° 5 agradará, sem dúvida, os mais exigentes dançarinos e amantes do gênero. Nossas felicitações à etiqueta Rádio pela eficiência técnica e artística das doze gravações assim como pelo zêlo com o material de fabricação do disco isento de chiado. – C.P.”

- foto 1 (acima): capa do LP Feito para Dançar 5
- foto 2: contracapa do LP Feito para Dançar 5
- foto 3: matéria no jornal Correio da Manhã (30-09-1956)

2.

3.



No vídeo acima, Waldir Calmon interpreta Guacyra, de Heckel Tavares. Esta gravação está no LP Feito para Dançar n°5 (Rádio, 1956).

Centenário de Waldir Calmon (17)

Na Revista Fon Fon

Foto maravilhosa de Waldir Calmon, publicada na revista Fon Fon, em 19 de dezembro de 1940. A legenda diz: “Waldyr Calmon é um dos bons pianistas do broadcasting carioca. Fez, há tempos, uma excellente dupla com Djalma Ferreira, outro pianista de valor.”


Acima, Waldir Calmon interpreta Adios (Madriguera) que foi gravada no 10 polegadas Mambos (Copacabana, 1955).

Centenário de Waldir Calmon (16)

Djalma Ferreira e a boate Drink


Uma raridade este vídeo com imagens da boate Drink! Nele, podemos ver o proprietário da DrinkDjalma Ferreira (órgão), tocando com seu conjunto Milionários do Ritmo: Ed Lincoln (piano), Waltel Blanco (baixo), Hugo (bateria) e Miltinho (voz). A música é o sambalanço, de grande sucesso, Lamento (Djalma - Luiz Antônio).

Djalma Ferreira, tal qual Waldir Calmon, foi o proprietário de uma das boates mais importantes da vida noturna carioca nos anos 50 e começo dos 60 e um dos músicos de maior destaque, no período, no Brasil. A trajetória de ambos é semelhante, pois tiveram seu próprio selo, sua própria produtora, suas próprias boates, gravaram e venderam muitos discos e ajudaram a popularizar o solovox e o órgão Hammond no país. Em 1963, Djalma vendeu a boate para a família de Cauby Peixoto e mudou-se, definitivamente, para os EUA. No show-baile do próximo dia 3 agosto (sábado), Djalma e seus Milionários do Ritmo também serão homenageados!

SERVIÇO:
- local: Cariocando Bar
- endereço: rua Silveira Martins, 139, Catete, RJ (ao lado da estação do metrô Catete)
- data: 03 de agosto de 2019
- horário: de 18h30 às 22h30
- couvert: R$ 30,00 por pessoa
- venda antecipada e reservas: 21 96937 0294 (Whats App)
- estacionamento: ao lado (preço fixo de R$ 15,00)
- produção: Marcia Calmon e Tranka


quarta-feira, 17 de julho de 2019

Centenário de Waldir Calmon (15)

Em Rio Novo (MG) 


Alguns momentos do pianista e compositor Waldir Calmon em sua cidade natal, a pequena Rio Novo, MG:

- foto 1 (acima): Waldir, com Marta e seu filho Marcus, em frente à casa onde nasceu (1979).
- fotos 2 e 3: com amigos. Creio que estes registros são do final dos anos 30 ou, no máximo, começo dos 40.
- foto 4: homenagem a Waldir, nos anos 50. Esta casa pertencia a Tito, seu tio paterno.

2.

3.

4.


Abaixo, o vídeo de Ronda (Vanzolini), com Waldir Calmon e seu conjunto. Esta gravação está no LP Feito para Dançar, de 1980 - o último gravado pelo artista. E não esqueçam de que, no dia 3 de agosto, teremos o show-baile Centenário de Waldir Calmon! Mais detalhes em www.waldircalmon.com .


segunda-feira, 8 de julho de 2019

Centenário de Waldir Calmon (14)

Vídeo de Divulgação com Marcia Calmon


Abaixo, o vídeo em que convido todos vocês para o show-baile em homenagem ao centenário do pianista e compositor Waldir Calmon! Todas as músicas que tocam no vídeo são gravações de meu pai: Malagueña (Ernesto Lecuona), Rock Around the Clock (Freedman - Knight), Tequila (Chuck Rio) e Adios (Enric Madriguera).  Até lá!

SERVIÇO: - local: Cariocando Bar - endereço: rua Silveira Martins, 139, Catete, RJ (ao lado da estação do metrô Catete) - data: 03 de agosto de 2019 - horário: de 18h30 às 22h30 - couvert: R$ 30,00 por pessoa - venda antecipada e reservas: 21 96937 0294 (Whats App) - estacionamento: ao lado (preço fixo de R$ 15,00) - produção: Marcia Calmon e Tranka


sábado, 29 de junho de 2019

Centenário de Waldir Calmon (13)

 Caricaturas


Algumas homenagens de caricaturistas:
- foto 1: Caricatura de Mendez, publicada na revista Radiolândia, em 8 de agosto de 1959. 
- foto 2: Nota com uma caricatura no jornal Gazeta Esportiva (São Paulo, 1960) 
- foto 3 (acima): Caricatura de Lery (1971) com carinhosa dedicatória. 
- foto 4: Figurinha do álbum Ídolos do Rádio e da TV, dos anos 50.

1.

2.

3.



No vídeo acima, a música Rock Around the Clock (Max C. Freedman - Jimmy De Knight), interpretada por Waldir Calmon. Esta faixa fez parte do LP Chá Dançante 3 (Copacabana Discos, 1957) e foi o primeiro samba-rock gravado no Brasil.